Teve uma ideia ?

Partilhe com os outros na A.D. Clique Aqui


Tá com Dúvida ?

Pergunte aos membros da A.D. Clique Aqui


Tem um Anúncio ?

Use os classificados da A.D. Clique Aqui


Que tal um Bate-Papo ?

Converse com os colegas na A.D. Clique Aqui


Sensoriamento Remoto, GIS e Arqueologia

Informação

Sensoriamento Remoto, GIS e Arqueologia

Como os Sistemas de Informações Geográficas (SIG) e Sensoriamento Remoto podem auxiliar a arqueologia.

Membros 80
Última Atividade: 4 Jun

Fórum de Discussões

Google Earth e Arqueologia

Iniciado por Diogo M. Costa. Última respostade Tiago Ramires 27 Set, 2010. 7 Respostas

Ola pessoal, gostaria de comecar um discussao sobre a utilidade ou nao de uma ferramenta como o google earth para a arqueologia. Para inicio de conversa vou deixar um link do projeto "Rome Reborn"…Continuar

Palavra-Chave: arqueologia, earth, google

Caixa de Recados

faça um contato

Você precisa ser um membro de Sensoriamento Remoto, GIS e Arqueologia para adicionar comentários!

Comentado por Leonardo Soares Souto Lepesqueur on 17 janeiro 2014 at 20:28

Caros amigos, os Magellan são muito bons também, só que tem pouca aceitação entre os consumidores brasileiros, o que encarece o produto e o deprecia quando vc quiser passa-lo adiante.
Se voce está falando de GPS de navegação eu recomendaria o Garmin Map 60CSX, a melhor relação custo benefício. Aqui onde o uso obtenho erros quase sempre de 3m, sem vegetação densa, é claro.

Comentado por Rosiane Limaverde on 11 novembro 2013 at 9:47

Grata pela atenção, Cleiton. Valeu! É igual sinal de trânsito, na dúvida não ultrapasse.


Criação
Comentado por Cleiton Silveira on 11 novembro 2013 at 9:36

Rosiane Limaverde, nunca usei os GPS dessa marca, mas tem que comparar as características com outros e ver as vantagens e desvantagens, na dúvida compre um Garmin que não tem erro!

Comentado por Rosiane Limaverde on 11 novembro 2013 at 9:29

Olá

Por favor alguém sabe me informar se os GPS da marca Margellan são bons?


Criação
Comentado por André Argollo on 30 setembro 2011 at 14:50

Amigos, acredito que a questão não é a ferramenta...essa é uma discussão entre os cartógrafos e programadores na UERJ. O importante é a base cartográfica que está utilizando, sempre atento com o sistema de projeção, sistema de coordenadas datum e escala cartográfica. Existe uma norma de 1983 para produção cartográfica no Brasil e, se pretende pensar na possibilidade de alguém revisitar o sítio em 10 anos, precisamos estar sempre atento às normas cartográficas e erros no georeferenciamento. Aqui no IPHAN Rio tenho diversos sítios que caem no mar, mas não são subaquáticos...erro no processo de coleta do georeferenciamento em campo.

Quanto ao software, eu particularmente carrego a bandeira do software livre e não me arrependo, pois tenho acesso ao código fonte e, no caso de modelos matemáticos de análise espacial, tenho total controle sobre o produto, pois o software não é uma caixa preta como o pago, onde não se tem idéia sobre o que os seus dados estão passando, em têrmos matemáticos, para gerar o mapa.

 


Criação
Comentado por tony villa nova on 26 julho 2011 at 23:34
Caro Nuno concordo plenamente que o mito do Indiana Jones afeta muitos "arqueólogos" de final de semana, então estas coordenadas geográficas são estritamente sigilosas por representarem um perigo para a arqueologia sua divulgação. Mas apenas uma dica: se não quiseres "piratear" um SIG vç poderá usar um de código aberto tanto o Terra View Como o SPRING estão disponíveis gratuitamente no sitio do IMPE são relativamente mais leves que o ArcGis e tem uma resolução bastante aceitável e que nós aqui no Instituto de Geociências da UFBA usamos em muito de nossos trabalhos apesar de possuir licenças para usar ferramentas da  ESRI
Comentado por Nuno Gomes on 26 julho 2011 at 21:10

Cara Antonia.

Eu não acho que devemos ser arcaicos ou antigos eu acho e defendo que cada arqueólogo devido à sua escola tem formas e estilos diferentes de trabalhar obviamente eu sei que o Google Earth não serve para georreferenciar, pois o melhor para georreferenciar sitios vistios ainda é e será o Autocad ou o ArqGIs, no entanto o que acontece e chamo atenção para isso devemos assumir o que usamos e como usamos e  fazemos.

 

Na minha opinião pessoal melhor melhor seria usar cartas militares e fotogramas, agora eu sei que os trabalhos do arqueologo é muito variado e tem diferentes objectivos, mas como a discução era sobre o uso do Google Earth como ferramenta para georreferenciar eu escrevi o que escrevi, eu  a titulo de exemplo estou neste momento usando o essa ferramenta (Google Earth) mas ponho sempre por escrito que o uso não omito nem tento disfarçar esse uso, pois eu tenho um trabalho que assumi e o que me aconteceu é que o colega que fez o trabalho anterior ao meu não assume isso e eu só quis chamar atenção para esse acontecimento.

 

É que tem outro problema que eu não quis debater por achar que não é este o sitio mais correcto, por exemplo eu estou a trabalhar e não tenho nenhum apoio da instituição para quem estou a prestar serviço e sou obrigado a usar programas open sorce ou a piratiar o software, e isso não me cabe na cabeça porque eu acho que devia haver mais e melhores condições para executar o trabalho agora isso é uma luta minha não sei se acontece contigo

 

Não foi nada dirigido à sua pessoa mas sim uma chamada de alerta para que as pessoas não caiam nessa situação de querer mostrar que até fazem sem fazer.

 

Digo mais eu até acho que quanto mais ferramentas usar-mos e cruzar-mos a informação diversa, melhores e mais resultados vamos ter agora cabe a cada um avaliar no terreno e as condições que tem e fazer o que acha que se pode aplicar melhor.

 

Tony eu sei tu sabes todos sabem disso mas isso leva me a uma questão e será bom para a Arqueologia que nós divulguemos o sitio exacto dos sítios, não te esqueças que nós somos profissionais mas existe ainda muita gente que anda a traz de mitos mais concretamente "ouro" e depois sem saber como fazer bem rebenta os sítios e nós perdemos uma incalculável quantidade de informação que para nós vale mais que "ouro".


Criação
Comentado por tony villa nova on 26 julho 2011 at 10:05
Olá Antonia beleza? também gostaria de receber estes arquivos manda para ; tonyastros@yahoo.com.br, tambem uso o SPRING, MAPAVIEW, TERRAVIEW, entre outros, a propósito o Google não tem precisão em coordenadas geograficas exatamente por não se tratar de um programa de georreferenciamento como um SIG,usando um DATUM que não correspode com a realidade por razões militares, um erro é propositadamente colocado em sua leitura.
Comentado por Ana Betânia Pimentel on 26 julho 2011 at 9:31
Oi Antônia,
meu e-mail é beta_geoufpa@hotmail.com

DEsde já obrigada pelo arquivo!!!

Abs,
Comentado por Antonia Damasceno on 23 julho 2011 at 15:22
Olá Nuno, ao contrário de que muitos pensam, o Google earth não é uma software ou ferramenta de geoprocessamento. Aqui no Acre, o geoprocessamento juntamente com o sensoriamento remoto (neste caso google earth e Formosat-2) tem nos auxiliado muito na identificação de sítios arqueológicos, além da analise espacial que estes dois juntos proporcionam. os arqueólogos estudam coisas antigas, porém os mesmos não devem ser antigos ou arcaicos . tem que está por dentro das novas tecnologias e modernização....
 
 
 

Patrocinio Exclusivo

 

Mapa da Rede :

          4330      Membros
           76         Grupos
           311          Fóruns
           141       Eventos
           312            Blogs
          156        Vídeos
           5040             Fotos
           161   Aplicativos
            10        Artigos
           649     Biblioteca
          79      Arquivos
            05             Anúncios
          169            Sítios
            100            Links

Lançamento: